A Uefa exibiu preocupação nesta quarta-feira (10) sobre a capacidade de Israel e da Rússia de sediar partidas da Eurocopa de 2020, em razão da instabilidade política nos dois países. A entidade vai escolher 13 cidades-sede de toda a Europa para o torneio em uma reunião do seu comitê executivo no dia 19 de setembro. As cidades de São Petersburgo e Israel estão entre as candidatas.

No seu relatório de avaliação das propostas, publicado nesta quarta-feira, a Uefa afirma que a situação política em Israel é "complexa" e classificou o momento da Rússia como "cada vez mais complexo".

Em julho, a Uefa decidiu proibir a realização de partidas internacionais em Israel por causa do conflito do país com militantes do Hamas em Gaza. A Rússia, que vai sediar a Copa do Mundo de 2018, tem sido amplamente criticada por seu envolvimento na crise na Ucrânia.

"A situação política de Israel é descrita na proposta como complexa, uma avaliação confirmada por instituições independentes", disse a Uefa. "É reconhecido que investimentos consideráveis seriam necessários para tal projeto ser implementado, sem, no entanto, mais detalhes serem fornecidos".

A Uefa elogiou o padrão de qualidade e segurança do novo estádio previsto pela candidatura de São Petersburgo, enquanto diz não ter recebido informações suficientes sobre o orçamento e os trabalhos de reforma do Estádio Teddy Kollek em Jerusalém. "Em relação à segurança, o estádio não forneceu qualquer certificado relevante ou plano de evacuação", acrescentou o relatório.

Sobre a candidatura da Escócia receber partidas no Hampden Park, em Glasgow, a Uefa observou que a cidade tem uma boa experiência em sediar grandes eventos, mas acrescentou que o resultado do referendo sobre a independência na próxima semana pode ser um problema em potencial. "A situação poderá ter que ser reavaliada se a Escócia se tornar independente da Grã-Bretanha após o referendo".

Doze candidaturas escolhidas vão sediar três jogos da fase de grupos e um das oitavas de final ou das quartas de final. Inglaterra e Alemanha apresentaram propostas para o pacote que inclui as semifinais e a decisão da Eurocopa de 2020.