Apesar do dia ter sido não tão inspirado como queria, o velejador Robert Scheidt conseguiu nesta quarta-feira melhorar na classificação geral no Aquece Rio, o primeiro evento-teste para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio. Na raia olímpica montada na Baía de Guanabara, o principal nome da vela nacional fez um 11.º e um 8.º lugares nas duas regatas do dia da classe Laser, mas subiu de sétimo para sexto na competição, com 26 pontos perdidos. O líder segue sendo o australiano Tom Burton, com 8.

"Não larguei bem nas duas regatas, principalmente na primeira, o que me custou algumas posições. A flotilha é muito forte e qualquer erro pode ser fatal", observou Robert Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star. "Espero estar num dia um pouco mais inspirado amanhã (quinta) e acertar mais as decisões".

Nesta quinta, as regatas da Laser devem ser disputadas na raia da Escola Naval, dentro da Baía de Guanabara. O Aquece Rio tem um total de 10 provas programadas para a classe Laser, com o descarte do pior resultado a partir da sexta regata. Os dez melhores colocados seguem para a medal race, no sábado, valendo pontos dobrados.

"Ainda temos mais cinco regatas antes da medal race e como a competição está bem equilibrada, com um nível altíssimo, muita coisa pode mudar até sexta-feira", acrescentou Robert Scheidt.

Na 49er FX, Martine Grael, filha de Torben, segue na liderança ao lado da proeira Kahena Kunze, com 19 pontos perdidos, após sete regatas disputadas. Nesta quarta, conseguiram um primeiro, um terceiro e um nono lugares. Na Finn, Jorge Zarif subiu da quinta para a quarta colocação.