O Brasil agora tem dois líderes no ranking mundial da vela. Na atualização realizada esta semana pela Isaf (Associação Internacional de Vela, na sigla em inglês), Ricardo Winicki, o "Bimba", pulou para o primeiro lugar entre os atletas da classe RS:X depois do quinto lugar na primeiro etapa de 2014 da Copa do Mundo, realizada na semana passada, em Miami (EUA).

Curiosamente, Bimba lidera o ranking sem ter conquistado nenhum título. Nas competições que valem pontos, foi quarto no Mundial, terceiro colocado no Campeonato Sul-Americano, e somou um segundo, um quinto e um sexto lugares em etapas de Copa do Mundo. O brasileiro fica na frente dos rivais porque foi a quatro competições que distribuem o limite de 200 pontos.

Pelo estranho ranking da Isaf, ser último colocado numa Copa do Mundo como de Miami na RS:X vale 178 pontos (o vencedor ganha 200). Ser campeão continental dá ao atleta 100 pontos, apenas. Nos EUA, Bimba brigava pela prata, mas foi último na medal race e acabou em quinto.

"Fiquei um pouco frustrado pelo quinto lugar, fiz uma medal race ruim e isso me tirou a chance de lutar pelo pódio em Miami. Mas acabou sendo um resultado importante, porque me levou, pela primeira vez em 18 anos de carreira internacional, à liderança do ranking da ISAF. Isso foi maravilhoso", comemora Bimba.

Por conta desse ranking um tanto quanto peculiar, Robert Scheidt, campeão mundial e medalhista de prata nas duas etapas de Copa do Mundo que disputou, é apenas o 18º no ranking da Laser. Filha de Torben Grael, Martine é a primeira na 49er FX, nova classe olímpica.