Cesc Fábregas fez de tudo que podia para deixar o Arsenal e voltar ao Barcelona, clube de infância e onde se formou como jogador nas categorias de base. Feliz no Camp Nou, ele admite a possibilidade de voltar ao Emirates Stadium, mas não agora. Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, afirmou que leva o Arsenal no coração e que sonha em um dia treinar a equipe.

"O Arsenal está no meu coração e para sempre estará. Foi importante para mim sair na direção correta, acredito que os torcedores entenderam. Não sei se vou ter a oportunidade de jogar lá (no Arsenal) de novo algum dia, ou talvez depois do futebol. O clube é como uma família e tenho certeza que me darão uma nova oportunidade, se não como treinador, pelo menos de desempenhar outro papel. As portas estão sempre abertas", disse o espanhol.

Em entrevista que só foi publicada pela metade na edição desta sexta-feira do The Guardian - o restante sai no sábado -, Fábregas falou sobre diversos temas. Explicou que deixou o clube por razões pessoais, mas que acredita que a sua saída acabou sendo proveitosa para que o Arsenal descobrisse outros talentos.

"Eu vejo como o Ramsey joga agora, ele parece tão livre, então penso que talvez eu estivesse o atrapalhando. Talvez eu fosse um obstáculo. Algumas vezes você precisa que alguém saia para você dar um passo adiante. Estou falando do Ramsey só como exemplo. Poderia falar o mesmo do Jack (Wilshere)", apontou o jogador do Barcelona.

Fábregas também elogiou a "espetacular" contratação de Özil por parte do Arsenal. "Se você tem a chance de assinar com ele, você não pode deixar a oportunidade passar. Acredito que ele vai aproveitar muito bem a chance. Ele é o cara que faz a diferença. Seu último passe é brilhante. Você não pode deixar espaço senão ele te mata."