Após o triunfo diante do sueco Tor Troeng, no UFC BH 2, no último dia 4 de setembro, o lutador mineiro Rafael “Sapo” esperava curtir um pouco suas merecidas férias. E comemorar aquele que considera o melhor ano de sua vida profissional, já que venceu as três lutas que disputou. Porém, seu bom retrospecto dentro dos octógonos lhe rendeu o convite para participar da edição 167, que comemorará o aniversário de 20 anos do Ultimate, no dia 16 de novembro, em Las Vegas. Apesar do curto período entre as lutas, ele não recusou a oportunidade e vem curtindo seus últimos dias de descanso. O mineiro vai pegar Ed Herman, finalista da terceira temporada do The Ultimate Fighter, nos EUA.

“Foi até uma surpresa quando recebi o convite. Quando meu empresário afirmou que iria ser no dia 16 de novembro eu até assustei, falando que não dava, que estava muito perto, que precisava descansar. Mas aí esfriei a cabeça, conversei com meus treinadores, que me apoiaram. Vamos pegar essa aí, fazer a quarta luta no ano, coisa que poucos fazem no UFC. E se Deus quiser, será com a quarta vitória”, declarou o lutador.

“Sapo” declarou que Herman estava entre os competidores que ele e seus treinadores já vislumbravam como o próximo adversário. “Depois de uma luta, já olhamos os possíveis concorrentes e ele (Ed Herman)estava entre os que a gente estava olhando. Ele é um cara duro, que tem nome, mas é o que a gente estava querendo. Vamos preparar com tudo para enfrentá-lo”, afirmou.

Segundo Rafael, apesar de tirar 15 dias de descanso, seus treinadores vêm trabalhando duro para elaborar seu plano de luta e deixá-lo a par das características do rival. “Meus treinadores são muito profissionais. Já selecionaram os vídeos. Até me falaram para começar a treinar 'ontem', mas falei que só começo a pegar pesado na próxima semana. Eles estão a mil por hora”, disse o competidor, que volta para os EUA na próxima sexta-feira, focando em seu treinamento.

Rafael Natal aproveitou para rever seus alunos na 'Sapo Team

Rafael Natal aproveitou descanso para rever os alunos (Foto: Luiz Costa)

Durante o período de descanso, Rafael aproveitou para dar uma passada na Sapo Team, academia que leva seu nome, com quatro franquias em Minas Gerais. Lá, reviu alunos e amigos, mas frustrou aqueles que queriam uma oportunidade de treinar com ele.

“Os alunos ficam doidos para treinar comigo, mas eu estou de férias. Venho só para ensinar, para rever a turma. Não faço nem um chãozinho. Quinze dias sem nada, sem suor, sem treino. Eles ficam meio revoltados, mas entendem, pois sabem que preciso descansar. Até que converso com eles, passo alguma coisinha, mas treinar e suar é sem chance”, afirma o “sensei”, com seu peculiar bom humor.

Representante celeste no UFC?

Durante a entrevista coletiva para o UFC BH 2, Sapo havia brincado que queria uma dupla vitória naquela quarta-feira, 4 de setembro: uma, obviamente, seria a sua, diante de seus amigos e familiares. A outra seria do Cruzeiro, seu time do coração. Naquela data, o time celeste pegava o Bahia, pelo 18ª rodada do Brasileirão. Os dois triunfos vieram.

Agora, o lutador mineiro quer repetir a dose. No final de semana do UFC 167, o Cruzeiro pegará a Ponte Preta, pela 35ª rodada do Nacional, confronto que pode ser decisivo para as pretensões da Raposa de conquistar pela terceira vez o Brasileirão. “Quando lutei naquela quarta-feira dei sorte para o Cruzeiro. Vai que eu faço o mesmo no dia 16. Quero continuar sendo pé-quente”, brinca o lutador.

Sobre a possibilidade de subir ao octógono representando o clube mineiro, Sapo prefere deixar que o “tempo” decida esse impasse. “Teve uma sondagem há algum tempo, mas nada ficou acertado. Mas tem a conversa, eles sabem que quero muito representar o Cruzeiro, mas que tenho que respeitar aqueles que me apoiam também. Se tiver que ser, será”, completa.