A manifestação prevista em Belo Horizonte, neste sábado, com saída da Praça 7 e caminhada sentindo Mineirão, fez com que alguns torcedores, com ingresso comprado para o duelo entre Japão e México, que acontece às 16h, chegassem mais cedo ao Gigante da Pampulha.

Os amigos Braz dos Reis, 34 anos, e Anselmo Corrêa, 54 anos, chegaram antes do meio dia ao estádio em Belo Horizonte. A chegada à arena foi tranquila, e a expectativa é que isso se repetisse na hora de deixar o Mineirão.

"(Cheguei mais cedo) para evitar o trânsito. Optamos por vir mais cedo. Foi bem tranquila a vinda. A preocupação na saída é que eu possa voltar de ôninus e a manifestaçao já tenha acabado", destacou Braz, que veio de táxi ao estádio.

"A manifestaçaõ começou bacana, é legal, mas o ruim é o vandalismo, quebradeira. Isso nao existe. fico ate triste, porque fui e sou um cara pintada, e pinto até hoje se for preciso. Mas começa tão bacana para depois quebrar uma agência e outras coisas", disse Corrêa, que ainda relatou um certo receio de ir à partida, mesmo com ingresso já comprado.

De Bambuí, o professor Gabriel de Castro, 27 anos, contou que a chegada mais cedo ao estádio se deve a uma série de fatores. Entre eles, é claro, as manifestações.

"Juntaram várias coisas. conseguimos ficar aqui perto e conseguimos vir andando. Pelas manifestações, resolvemos vir mais cedo, conhecer o local e depois a gente fica nas redondezas até a hora do jogo", disse Castro, acompanhado de dois amigos, um de Viçosa e outro de Lavras.



Torcedores chegam mais cedo para evitar manifestação
Amigos vieram torcer para o México (Foto: Vinícius Las Casas/Hoje em Dia)


O economista Danilo Favato, 23 anos, temendo não conseguir chegar ao Mineirão para assistir à partida pela Copa das Confederações, saiu de casa ao meio-dia. "Acho estranho acompanhar o jogo em meio às manifestações, mas já havia comprado o ingresso desde março", explica o jovem, que torcerá para o México.

A família Ikezoe veio do Japão e dos Estados Unidos só para acompanhar a Copa. Apesar de temer a violência que ganhou às ruas na última semana, com a ação de vândalos em meio aos protestos, eles estão felizes em visitar o Brasil e apostam na vitória japonesa.

Torcedores chegam mais cedo para evitar manifestação
Família chega cedo para torcer pelo Japão (Foto: Vinícius Las Casas/Hoje em Dia)


Yoshie Ikezoe, 39 anos, que atualmente vive em Nova York e está em BH com o marido, o filho e dois amigos por quatro dias tem um palpite para o resultado. "Vai ficar 2 x 1 para o Japão", aposta. 

 

O grupo de turistas também visitou o recife e chegou à capital mineira na quinta-feira. Eles seguiram caminhando até o estádio, vestidos com a camisa da seleção japonesa e carregando bandeiras.

(*) Com Milson Veloso