A Conmebol abriu processo disciplinar para julgar o Grêmio e o Huachipato em razão da confusão que tomou conta do gramado do time chileno ao fim da partida disputada no dia 18 de abril, no encerramento da fase de grupos da Copa Libertadores. O jogo foi marcado por uma briga generalizada, que contou até com os técnicos Vanderlei Luxemburgo e Jorge Pellicer.

O processo disciplinar foi aberto com base "nos documentos oficiais da partida e nas imagens da televisão", informou a Conmebol. "Foi aberto procedimento disciplinar contra ambos os clubes, incluindo vários jogadores e técnicos que participaram dos incidentes", complementou a nota oficial da entidade.

Sem dar maiores detalhes sobre o julgamento, a Conmebol disse apenas que o Tribunal de Disciplina deve anunciar uma decisão sobre o caso antes do jogo de ida do Grêmio contra o Santa Fé, na quarta-feira, pelas oitavas de final da Libertadores. O Huachipato ficou em terceiro lugar no Grupo 8 e foi eliminado da competição.

A confusão no jogo do dia 18 de abril teve início quando a comissão técnica anfitriã foi cumprimentar Luxemburgo. Os chilenos teriam se irritado com uma suposta reação irônica do treinador brasileiro, diante da desclassificação do Huachipato, e iniciaram briga generalizada.

Ao perceber o risco, Luxemburgo saiu correndo rumo aos vestiários e acabou escorregando no gramado, quando acabou sendo agredido por jogadores chilenos. A confusão ainda se prolongou por alguns minutos no campo após o empate por 1 a 1 que garantiu a classificação gremista.