O atacante camaronês Samuel Eto´o acusou neste sábado (9) dirigentes da federação de futebol do seu país de corrupção e incompetência e alertou que recebeu "ameaças de morte".

"Existem pessoas que querem continuar controlar o dinheiro que nós (os jogadores) estamos gerando para viajar em primeira classe, construir lindas casas e andar em carrões com o suor do nosso rosto", afirmou o jogador numa entrevista ao site Je Wanda.

"A realidade é que essas pessoas enchem os bolsos. Todos na Fécafoot (diminutivo da Federação Camaronesa de Futebol) vivem dizendo 'quero ficar rico'", explicou Eto´o aos internautas que perguntaram porque ele não tem jogado com a seleção do seu país recentemente.

"Temos que nos livrar desta gente que já provou sua incompetência. Já comeram bastante, deixem uma fatia do bolo para a gente!", reclamou.

"Por denunciar isso tudo, já foi ameaçado de morte várias vezes", completou o jogador que atua no Anzhi Makhachkala e disse que precisava de "proteção policial" cada vez que voltava para Camarões.