O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), defendeu, nesta sexta-feira  (27), a compra de fuzis pela população. A declaração foi feita durante encontro com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, em Brasília, no Distrito Federal.

Em vídeos que circulam nas redes sociais, Bolsonaro diz: "tem que todo mundo comprar fuzil, pô! Povo armado jamais será escravizado!"

Em seguida, o chefe do Executivo ainda hostiliza quem diz que a prioridade seria "comprar feijão". "Eu sei que custa caro. Aí, o idiota [diz] 'tem que comprar feijão'. Cara, se não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer", afirmou.

7 de setembro

Bolsonaro confirmou, ainda, presença nos atos de 7 de setembro, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília e na avenida Paulista, em São Paulo. Ele convocou todos a participarem e disse que será um ato pacífico.

O mandatário ainda negou a possibilidade de um golpe de Estado. “Alguns dizem que eu quero dar golpe. São idiotas! Já sou presidente, pô”, disse.

Leia Mais:
Zema isenta Estado e culpa governo federal por alta nos combustíveis
População de Minas chega a 21,4 milhões de pessoas em 2021, diz IBGE
Em sete meses, inflação da indústria ultrapassa acumulado de 2020