O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi escolhido nesta segunda-feira (22) relator da ação direta de inconstitucionalidade na qual o presidente Jair Bolsonaro contesta decretos da Bahia, do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul que restringem a circulação de pessoas para conter o avanço da Covid-19. 

O sorteio foi feito de forma eletrônica, com base no histórico de processos recebidos pelos ministros. 

Na ação, protocolada na semana passada, o presidente pede que um decreto do DF, um da BA e dois do RS sejam declarados “desproporcionais” e derrubados por liminar (decisão provisória), “a fim de assegurar os valores sociais da livre iniciativa e a liberdade de locomoção”.
 

Marco Aurélio

O sorteio foi feito de forma eletrônica, com base no histórico de processos recebidos pelos ministros

Bolsonaro pede que o Supremo declare “que mesmo em casos de necessidade sanitária comprovada, medidas de fechamento de serviços não essenciais exigem respaldo legal e devem preservar o mínimo de autonomia econômica das pessoas, possibilitando a subsistência pessoal e familiar”.

Leia mais:
Prefeituras criam consórcio para compra de vacinas contra Covid-19
Rodrigo Pacheco pede pacto nacional para enfrentar pandemia