BRASÍLIA - A Justiça do Distrito Federal condenou o empresário Carlos Augusto Ramos, o Cachoeira, a cinco anos de prisão em regime semi-aberto. Com a condenação, a Justiça determinou a soltura de Cachoeira, que está preso há 266 dias.

Cachoeira permanecia preso no complexo penitenciário da Papuda devido ao processo decorrente da Operação Saint-Michel, deflagrada pelo Ministério Público do Distrito Federal e que investigou tentativas de fraudes no sistema de bilhetagem do transporte público do Distrito Federal.

Essa operação foi um desdobramento da Monte Carlo, deflagrada pela Polícia Federal em fevereiro e que o levou à cadeia no dia 29 daquele mês. As investigações da Monte Carlos acabaram gerando a rumorosa CPI do Cachoeira, que deverá ser encerrada nesta semana com a leitura de seu relatório final.

O Tribunal de Justiça iria julgar um pedido de liberdade da defesa de Cachoeira na próxima quinta-feira. Ocorre que a juíza da Quinta Vara Criminal, Ana Cláudia de Oliveira, antecipou a sentença.

"Não há formação de quadrilha nem tráfico de influência no caso da Saint-Michel. Não havia motivo para continuar com a prisão", disse o advogado Nabour Bulhões.