A campanha de Bolsonaro já avaliava que o tipo de violência ocorrido na tarde desta quinta-feira (6), em Juiz de Fora, na Zona da Mata, pudesse acontecer. A declaração foi dada pelo deputado Flavio Bolsonaro (PSL), filho do candidato, em entrevista ao canal GloboNews. De acordo com ele, Adélio Bispo de Oliveira agiu para matar Bolsonaro. 

Flavio também afirmou que o pai não usava colete à prova de balas e apenas contava com a escolta da Polícia Federal, que é obrigatória para presidenciáveis. Segundo o deputado, Adélio chegou bem próximo a Bolsonaro e foi contido por apoiadores da campanha no momento em que pegou a faca. Flávio disse que por esse motivo o corte não foi mais profundo. 

"Não sei o que se passa na cabeça de uma pessoa dessa. Foi a mão de Deus que agiu (para proteção). Estou indo para Juiz de Fora agora. É contra isso que estamos lutando. A gente sempre soube que poderia acontecer. Os presidenciáveis têm direito a escolta da PF e veículo blindado e, na avaliação deles, o Jair precisa de uma atenção maior. Foi com uma faca, mas poderia ter sido com uma arma. A gente toma as precauções. (O atentado) fortalece ainda mais (a campanha)."