A sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Paraná foi atacada na madrugada desta quinta-feira, 17, informou a entidade. Vidros foram quebrados e os muros foram pichados com a frase "fora milícia". O ataque ocorreu por volta da meia noite e, segundo a CUT, é consequência do "ódio" que movimenta as discussões políticas no Brasil.

"O ataque é, claramente, resultado das ações inconsequentes de setores políticos que apostam no caos social para desestabilizar o Brasil. O ódio, disseminado por meio das redes sociais, deixa a Internet para ganhar as ruas", destacou a CUT em nota. "Os prejuízos não são contabilizados nas finanças do que deverá ser arrumado. O problema, bem como o alvo central do ataque, foi a democracia brasileira", complementou a entidade.

Além de criticar a violência "como parâmetro de ação política", a CUT alerta que o cenário atual é de "alto risco para as instituições brasileiras." A entidade também criticou o que classifica como "ações midiáticas de parte do poder judiciário", mas não identificou quais seriam essas ações.

O termo "ações midiáticas" ganhou força duas semanas atrás, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento. Há críticas ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pela investigação da Operação "Lava Jato" em primeira instância.