Os secretários de Estado da Fazenda e do Planejamento, José Afonso Bicalho e Helvécio Magalhães, respectivamente, creditaram a crise fiscal pela qual atravessa o governo do Estado a gestões anteriores, à queda na arrecadação e ao parlamento mineiro - por terem aprovado leis aumentando salários de servidores. Eles foram convidados a dar esclarecimentos aos deputados estaduais na reunião da Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nesta terça-feira (15).

Os secretários foram convidados pelo deputado estadual Gustavo Valadares (PSDB), que questionou se os vencimentos dos servidores públicos estaduais continuarão a ser parcelados nos próximos meses.

"O mais sério é em relação ao pessoal, principalmente na área de segurança. Em 2015 o aumento dado à área de segurança, nos anos anteriores, impactou em R$ 5 bilhões o orçamento", argumento Bicalho.

Os secretários fizeram uma explanação técnica sobre a situação fiscal e orçamentária do Estado, mas não responderam diretamente às perguntas dos deputados. Helvécio Magalhães disse que até o fim do mês será anunciado como será o pagamento do mês de abril. Primeiro, de acordo com o secretário, o governo irá conversar com o funcionalismo.