O ex-ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência do governo Dilma Rousseff) disse à Polícia Federal que "se afastou da presidenta por razões múltiplas, basicamente por divergências a respeito da maneira de conduzir o governo". Ele ocupou o cargo entre 2001 e 2015.

Seu depoimento ocorreu no dia 10 de dezembro no inquérito da PF que investiga organização criminosa envolvendo parlamentares de diversos partidos supostamente beneficiados pelo esquema de propinas instalado na Petrobrás entre 2004 e 2014.

Indagado pela PF se "os fatos de corrupção na Petrobrás" foram considerados para a troca do ministro Mário Negromonte (Cidades), ele afirmou que "formalmente não". "No caso de Mário Negromonte foi a ministra Ideli Salvatti quem acompanhou o desenrolar dos fatos que resultaram na exoneração de Mário Negromonte", escreveu a PF.

Negromonte foi citado no âmbito da Operação Lava Jato pelo doleiro Alberto Youssef. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.