O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, é sabatinado nesta quarta-feira (26), pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal. Indicado pela presidente Dilma Rousseff para permanecer por mais um mandato à frente do Ministério Público, Janot deve ser questionado principalmente sobre sua atuação no comando das investigações contra políticos na Operação Lava-Jato.

Embora 13 dos 81 senadores sejam investigados no esquema de corrupção da Petrobras, parlamentares dizem acreditar que o senador Fernando Collor (PTB-AL) deverá ser uma voz "solitária" nas críticas a Janot. Na véspera, Collor chamou Janot de "fascista da pior extração", "sujeitinho à toa" e "figura tosca".