O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) disse que a revelação de que escutas ilegais foram implantadas na sede da Superintendência da Polícia Federal no Paraná demonstram que o juiz Sérgio Moro foi enganado. "Mentiram para o juiz", concluiu.

Na tarde desta quinta (2) o agente da PF Dalmey Fernando Werlang contou na CPI da Petrobras que implantou escutas na cela do doleiro Alberto Youssef e no fumódromo da Superintendência a pedido do superintendente da PF no Paraná, Rosalvo Franco, e dos delegados Igor Romário de Paula e Márcio Anselmo. A escuta no fumódromo teria sido pedida por uma outra delegada, que é mulher de outro delegado.

No depoimento anterior, o ex-diretor de Inteligência da PF, José Alberto de Freitas Iegas, confirmou que foi encontrada uma escuta na cela de Youssef. O aparelho, segundo Iegas, era diferente do que foi colocado com autorização judicial na época do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. A PF chegou a informar que a escuta encontrada estava inativa e o juiz Sérgio Moro considerou, com base na sindicância da PF, que não havia irregularidades.