O governador de São Paulo Geraldo Alckmin falou pela primeira vez sobre a morte do filho Thomaz, após a missa de sétimo dia na igreja Nossa Senhora do Brasil, no Jardim Europa, zona sul da capital paulista. Ele fez uma declaração de agradecimento e se retirou em seguida.

"Quero dar uma palavra de agradecimento pelas orações, pelo carinho e pelo apoio que confortam o coração de toda a nossa família nesses dias tão difíceis", afirmou o governador, com a voz baixa. "Thomaz teve uma vida iluminada, um filho carinhoso, pai amoroso, jovem batalhador, trabalhador, amigo fiel que deixa duas filhas muito lindas, a Isabela e a Júlia. Em nome da nossa família nós queremos agradecer toda a solidariedade, todas as orações nesse momento tão difícil. Muito obrigado a todos."

A missa, celebrada pelo bispo Dom Fernando Figueiredo, durou cerca de uma hora e contou com a presença de vários líderes e nomes de referência do PSDB. A igreja ficou lotada pouco depois das 19h30 e a maioria das pessoas teve de assistir à missa em pé. Por causa da grande quantidade de gente, as portas da igreja tiveram de ser abertas para comportar todo mundo.

Depois da cerimônia, Alckmin, Dona Lu, o filho Geraldo Alckmin Neto e a filha Sophia receberam os cumprimentos dos presentes por uma hora e 40 minutos. Alckmin Neto e Dona Lu pareciam muito abalados. Eles e Sophia saíram sem falar com a imprensa.

Pela manhã, em seus perfis no Facebook, no Instagram e no Twitter, a primeira-dama também se manifestou pela primeira vez sobre a morte do filho. Ela publicou uma foto de Thomaz, agradeceu às mensagens de apoio e solidariedade que recebeu nos últimos dias e reproduziu a reflexão "O amor não desaparece jamais", de Santo Agostinho.

Já Sophia escreveu no Facebook ontem que o "coração já está apertado de saudades, mas cheio de histórias boas para relembrarmos". Ela relata que o irmão caçula era "o mais aventureiro e destemido" entre os três filhos do governador.