A segurança em Minas Gerais para a disputa do 2º turno entre os candidatos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) deve ser reforçada, já que a expectativa é de corpo a corpo mais acirrado entre os correligionários adversários. 
 
"Temos que ficar mais atentos com relação aos excessos nas propagandas. Também vamos aproveitar para reforçar a fiscalização no dia da votação para evitar crimes eleitorais, como panfletagem, boca de urna e sujeira em toda a cidade", sinalizou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Geraldo Augusto de Almeida.
 
Conforme ele, até este domingo (5) foram feitas 1.300 representações de partidos políticos contra coligações adversárias. A previsão é que mais ocorrências sejam registradas no 2º turno. Sobre o nível de abstenção no Estado, superior a 24% - foram mais 1,7 milhão de votos brancos e 1,7 milhão nulos -, o presidente do TRE se mostrou surpreso. 
 
"Como cidadão fico entristecido com essa porcentagem de abstinência. Hoje é o dia de exercer a democracia e todo poder emana do povo. O cidadão perde a oportunidade única de eleger um candidato, exercer sua cidadania".
 
Ocorrências
 
Almeida lamentou o caso envolvendo uma mesária de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, presa fazendo boca de urna dentro do colégio eleitoral. "É uma tristeza grande em saber desse tipo de caso. Uma pessoa usando o cargo de mesária agindo dessa forma é falta de ética e educação cívica".
 
O presidente do TRE acredita que alguém já deve ter feito uma representação contra a mulher e garantiu que ela será processada e nunca mais será mesária. Tirando os contratempos, a eleição no Estado foi considerada um sucesso. "O balanço é muito positivo. O eleitor mostrou muita educação cívica. Foram registrados casos pontuais de boca de urna e panfletagem, com eleitores e candidatos", comemorou.
 
A operação do sistema surpreendeu positivamente o presidente do TRE, já que a expectativa era que a apuração encerrasse às 23h30. No entanto, pouco antes das 21h o pleito já tinha sido praticamente definido.
 
*Com informações de Alessandra Mendes