O candidato do PCB ao Governo de Minas, Tulio Lopes, reuniu-se nessa segunda-feira (11) com representantes do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Energética de Minas Gerais (Sindieletro), para ouvir demandas dos trabalhadores. O sindicato elaborou um documento com uma série de propostas a serem apresentadas aos candidatos, as principais são a não privatização da Cemig e quaisquer de suas subsidiárias, o fim das terceirizações e a redução da alíquota do ICMS da conta de energia do consumidor residencial, de forma gradativa, visando equiparar com a média nacional. 
 
Tulio Lopes se disse totalmente a favor das propostas do sindicato. “Defendemos a Cemig 100% estatal, sob controle dos trabalhadores e somos contra o processo de terceirização que amplia o número de acidentes de trabalho”, ressaltou. Segundo o coordenador geral do Sindieletro, Jairo Nogueira, a terceirização cresceu de tal forma na empresa que hoje representa a maioria dos trabalhadores. Em 1990 a Cemig tinha 20 mil funcionários, hoje tem apenas 8 mil ligados diretamente a ela, mas mantém mais de 20 mil terceirizados. 
 
Ainda de acordo com Jairo, o número de acidentes de trabalho com mortes também subiu junto com a terceirização, sendo que são registrados uma média de um a cada 45 dias. “A situação do trabalho terceirizado no setor é trágica. Esses trabalhadores são submetidos a muita pressão por produtividade, excesso de carga horária, além da falta de qualificação. Tudo isso resulta no alto índice de acidentes, que quando não matam deixam graves sequelas”, diz Jairo. 
 
Diante do exposto, o candidato Tulio Lopes reforçou que seu partido apresenta um programa anti capitalista, que entende a terceirização como precarização do trabalho. Túlio, que tem se reunido com representantes de trabalhadores de diferentes setores, disse que tem percebido uma “indignação” da classe com o atual governo. “Mas está colocada, para estas eleições, a perspectiva de mudança”, concluiu.
 
A pauta de reivindicações do Sindieletro já foi discutida também com os candidatos Fernando Pimentel (PT), Tarcísio Delgado (PSB) e Fidelis Alcantara (SOL). Apenas o candidato Pimenta da Veiga (PSDB) ainda não respondeu ao convite do sindicato para participar de reunião sobre o assunto. Nesta terça-feira (12), Tulio se encontra com membros do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação.