Entra em vigor na União Europeia (UE), nesta terça-feira (4), uma lei que proíbe tatuagens com tintas coloridas. Segundo o bloco, o motivo da medida são os possíveis riscos à saúde dos cidadãos provocados pelo método de pigmentação da pele.

Quatro mil substâncias presentes nas tintas coloridas de tatuar e descritas no documento Registro, Avaliação, Autorização e Restrição de Produtos Químicos (REACH), que regulamenta os produtos comercializados na UE, foram consideradas cancerígenas ou responsáveis por mutações genética.

Em comunicado, a União Europeia explicou que o objetivo não é proibir a tatuagem, "mas tornar mais seguras as cores utilizadas".

Ainda segundo o bloco europeu, as tintas para os desenhos na pele são uma mistura de várias substâncias químicas, podendo conter agentes perigosos que provocam alergias cutâneas e podem gerar outros impactos mais graves para a saúde, como mutações genéticas e câncer.

O comunicado diz que os pigmentos também podem migrar da pele para diferentes órgãos, como gânglios linfáticos e fígado, e que, uma vez que as tintas permanecem no corpo para toda a vida, existe a possibilidade de exposição a longo prazo aos ingredientes potencialmente nocivos.

Leia mais:
Prefeitura de BH retoma prova de vida para aposentados e pensionistas; saiba como proceder
Prazo para efetivação da matrícula nas escolas estaduais de Minas termina em 14 de janeiro
Escala de vencimento do IPVA 2022 em Minas começa em 21 de março; confira calendário