As equipes de resgate chinesas encontraram nesta terça-feira (22) o primeiro corpo no parque industrial do Sul do país, atingido por um deslizamento de terra que enterrou mais de 30 edifícios em um mar de lama.

É a primeira morte confirmada, enquanto 81 pessoas continuam desaparecidas, na sequência do segundo maior acidente industrial na China em quatro meses.

O desastre, ocorrido no domingo (20), teria sido causado pela excessiva acumulação de resíduos de construção e terra. Testemunhas relatam "ondas gigantes" de uma massa de lama e terra vermelha a deslizar sobre a zona industrial em Shenzhen, antes de derrubar e cobrir fábricas e prédios.

Vídeo registrado por um drone e divulgado na televisão chinesa mostra uma corrente de lama entre e sobre prédios, enquanto caminhões aparecem tombados nas margens.

O deslizamento cobre uma área de 380 mil metros quadrados - o equivalente a 60 campos de futebol - atingindo 10 metros de profundidade em algumas áreas, disse uma fonte oficial.

Os resíduos e a terra, acumulados durante obras de construção, teriam sido armazenados ilegalmente em pilhas com 100 metros de altura.

A chuva intensa que atingiu a região no domingo de manhã transformou os detritos em lama.

Em agosto, duas explosões em um terminal de contêineres que armazenava ilegalmente 3 mil toneladas de produtos químicos na cidade portuária de Tianjin, deixaram 173 mortos e 700 feridos.

Vizinha de Hong Kong, Shenzhen é o principal centro da indústria tecnológica da China, com fábricas de montagem que trabalham para numerosas multinacionais do setor.