Um avião comercial da Malásia com 295 pessoas caiu na Ucrânia nesta quinta (17), próximo à fronteira com a Rússia, segundo a agência russa de notícias Interfax. Ainda de acordo com a agência, um assessor do ministro do Interior ucraniano confirmou que 280 passageiros e 15 membros da tripulação morreram. O assessor disse ainda que o avião foi derrubado por um míssil lançado a partir do solo.
 
O twitter do jornal Russia Today publicou várias fotos do local do acidente:
O confronto entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas na fronteira já provocou a queda de pelo menos dois aviões militares nesta semana. A Malaysia Airlines confirma que perdeu contato com o voo MH17 e que a última posição da aeronave era na Ucrânia, segundo divulgou no Twitter.
 
O avião de passageiros não entrou no espaço aéreo russo quando esperado, segundo uma fonte da aviação russa confirmou à agência Reuters. O avião ia de Amsterdam para Kuala Lumpur, capital da Malásia, e caiu de uma altura de 10 quilômetros.
 
Nesta quinta, a Ucrânia acusou a Rússia de derrubar um de seus aviões de guerra, o que obrigou o piloto a ejetar, segundo porta-voz do Conselho de Segurança Nacional e Defesa ucraniano. A Rússia negou que tenha sido responsável.
 
Assista aos vídeos:

 
Na segunda, outro avião militar ucraniano foi derrubado, causando a morte de dois tripulantes, enquanto quatro foram resgatados e outros dois aprisionados pelos separatistas.
 
O editor do Mashable, Brian Ries, tuítou uma imagem que mostra a rota do avião e onde ele caiu:

MALAYSIA AIRLINES
 
Em março, outro avião da Malaysia Airlines desapareceu quando ia de Kuala Lumpur a Pequim com 239 pessoas a bordo.
A aeronave desapareceu das telas dos controladores aéreos 40 minutos depois da decolagem e mudou sua trajetória prevista, iniciando uma grande operação de busca no oceano Índico.
 
Até hoje, os destroços do voo MH370 não foram encontrados.
 
As autoridades australianas, responsáveis pelas buscas, estudam a possibilidade de que uma falta de oxigênio tenha causado a morte da tripulação e dos passageiros do avião, que supostamente voou com o piloto automático até cair no sul do Oceano Índico, segundo disseram no mês passado.