BRUXELAS - A Comissão Europeia deu luz verde, sob condições, à fusão das companhias aéreas US Airways e American Airlines (AMR), da qual nascerá a maior companhia dos Estados Unidos e um gigante mundial.

"A Comissão pode autorizar esta operação desde a primeira fase vistos os compromissos propostos pelas partes, que resolvem o problema da concorrência que destacamos em relação ao trajeto Londres-Filadélfia", declarou o comissário encarregado da Concorrência, Joaquín Almunia.

Estes compromissos compreendem a cessão de uma faixa horária correspondente ao aeroporto de Londres Heathrow e acordos sobre o transporte de passageiros em trânsito "para incentivar ao novo concorrente a entrar no mercado deste trajeto", explica o comunicado.

Guardiã da concorrência na Europa, a Comissão está preocupada que a fusão crie um monopólio sobre o trajeto Londres-Filadélfia, no qual os dois grupos oferecem voos sem escala através de uma participação em uma empresa conjunta com a British Airways-Iberia.