Na primeira semana do ano, o comércio de Belo Horizonte se movimenta para iniciar o caixa de 2022 com a queima de estoques que não foram vendidos em datas como a Black Friday e o Natal de 2021. Com isso, os descontos oferecidos nos chamados saldões, de acordo com a CDL-BH (Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte), podem chegar a 70%, além de facilidade nas formas de pagamento.

“Logo após o Natal, alguns lojistas já começam a colocar o estoque em liquidação, especialmente o setor de vestuário, que tem lançamentos de novas coleções e aproveitam o momento para realizar essa troca”, conta Ana Paula Bastos, coordenadora de pesquisa da CDL-BH. Segundo ela, a iniciativa recebe adesão da grande maioria dos lojistas da capital, com descontos na faixa de 50%, podendo chegar a 70%.

Dabi Pio, gerente da Reserva, marca de vestuário localizada na região Centro-sul de Belo Horizonte, afirma que a estratégia é adotada devido ao baixo movimento do período, que não abriga nenhuma data comemorativa. “Para aquecer as vendas, a gente queima a coleção que trabalhamos no fim do ano. Grande parte da loja está em promoção de 20%, 30%, até 40% em relação aos preços de dezembro. É a oportunidade que muita gente vê para comprar uma roupa para viajar”, diz. O gerente diz que o patamar de promoções está similar aos da Black Friday.

Daniela Martins, gerente da loja de roupas Animale, relata que a estratégia é conhecida pelo público, o que garante ao mês uma boa movimentação. “Todo início de janeiro começamos com as promoções, que podem chegar até 50% de desconto em uma única peça. No final do mês, os descontos vão aumentando de acordo com o número de produtos”, afirma ela. 

Comprando no local, a tradutora juramentada Ana Laura Fonseca se identifica como consumidora assídua da marca e tem costume de aproveitar o momento. “Compro aqui o ano inteiro, mas conheço a liquidação deste período e sei que são bons preços porque, às vezes, durante o ano, não conseguimos comprar tudo que precisamos. Quando chega janeiro, ainda estamos dentro da estação e dá para encher o guarda-roupa”, diz.

Mas o segmento de vestuário não é o único a adotar a tática. Com a chegada das novas safras, as promoções do período contemplam até vinhos. “O ‘Bota Fora’ é uma promoção já consolidada, onde nossos descontos vão de 20% e chegam a 70% com vários rótulos do nosso portfólio. Com a chegada de novos lotes, temos muita ponta de estoque, portanto, é uma data muito significativa e que nossos clientes já ficam aguardando essa ação que começa no próximo dia 10”, detalha Claudio Vinhal, gerente da World Wine no Pátio Savassi.

Lojistas comemoram bons resultados do Natal 2021

O balanço de vendas do Natal 2021 em Belo Horizonte ainda está sendo apurado – informa a CDL-BH (Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte) –, mas há lojistas da região Centro-Sul da capital que descrevem o período como “agressivo” e “maravilhoso”.

Em levantamento prévio divulgado logo após o Natal, a CDL-BH já apontava o otimismo do comércio em relação ao Natal passado. Segundo informou a entidade, 45,2% dos comerciantes afirmaram que as vendas foram melhores que as de 2020. Outros 43,6% responderam que o desempenho atendeu ou superou as expectativas, enquanto 35,5% disseram que o movimento atendeu parcialmente. Somente 21% ,afirmaram que as vendas não atenderam ao esperado. 

Pelo levantamento preliminar, os itens de vestuário lideraram as vendas, com 33,9%. Calçados (16,1%), cosméticos (14,2%), utensílios domésticos (9,7%) e itens de decoração (9,7%) também aparecem no ranking.

De acordo com a pesquisa, a flexibilidade das restrições e o avanço da vacinação foram os principais motivadores do crescimento. “Nossas peças praticamente esgotaram em dezembro, foi um mês maravilhoso”, relata a gerente Daniela Martins, que estima ter vendido no último mês de 2021 cerca de 90% a mais que em relação ao mesmo período do ano anterior, tendo inclusive já alcançado os patamares de 2019, na pré-pandemia.

Retomada

Davi Pio é outro gerente que confirma o bom desempenho do Natal de 2021. “Viemos de um dezembro muito agressivo. O mercado tem reagido rapidamente com a retomada dos eventos, bares e isso é perceptível na rotina do shopping”, avalia.

Davi relata que as vendas do Natal bateram os números do período pré-pandemia. “Muito maior: crescemos em torno de 50% em relação a 2019. No nosso caso, surfamos na onda de retomada do mercado com investimento em marketing e qualidade”, afirma. Segundo Davi, desde a inauguração da loja, o último dezembro foi o melhor dos últimos cinco anos.