O Monitor do PIB-FGV apontou retração de 0,7% na atividade econômica do Brasil no mês de outubro, em comparação a setembro. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Na comparação do trimestre que se encerrou em outubro o anterior, houve crescimento de 1%. Na comparação interanual, a economia estagnou.

Em termos monetários, estima-se que o Produto Interno Bruto (PIB) no acumulado do ano até outubro, em valores correntes, foi de R$ 7,162 trilhões.

O consumo das famílias cresceu 1,9% no trimestre móvel terminado em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado. Na série com ajuste sazonal, o consumo das famílias apresentou avanço de 0,6% em comparação ao trimestre anterior.

A formação bruta de capital fixo, que são os investimentos, cresceu 7,6% no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado.

A exportação apresentou crescimento de 5,7% no trimestre móvel terminado em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado. O elevado crescimento do setor de serviços (31,3%) é o principal responsável por essa taxa positiva. Por outro lado, no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao terminado em julho, a exportação apresentou retração de 0,8%.

Já a importação cresceu 20,9% no trimestre móvel findo em outubro em comparação ao mesmo período do ano passado. No trimestre móvel findo em outubro em comparação ao terminado em julho, a importação apresentou retração de 0,3%.

Leia mais:
Oito municípios concentravam 25% do PIB nacional em 2019, diz IBGE
Banco Central reduz previsão de crescimento da economia em 2021 de 4,7% para 4,4%
Confederação Nacional da Indústria diz que economia deve crescer 1,2% em 2022