O Brasil deve produzir 289,8 milhões de toneladas de grãos, 14,7% superior ao biênio 2020/21, segundo a segunda estimativa para 2021/2022 divulgada nesta quinta-feira (11) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O resultado foi impulsionado pelos bons volumes de chuvas e a semeadura das culturas de primeira safra, segundo a Conab.

A estimativa é que a área total cultivada no país seja de 71,8 milhões de hectares, um crescimento de 4,1% em relação à safra anterior. Conforme a companhia, nesse total estão incluídas as culturas de primeira safra (semeadas entre agosto e dezembro de 2021), as de segunda (janeiro e abril de 2022) e as culturas de terceira safra (entre abril e junho de 2022).

Segundo o boletim, a safra de soja do Brasil deve atingir 142 milhões de toneladas, representando um crescimento de 3,4% em relação a 2020/2021, no país que é o maior produtor e exportador global do grão. Até o mês passado, a Conab previa uma área de 39,9 milhões de hectares. Agora a expectativa é um plantio de 40,3 milhões de hectares.

O volume total de milho deve chegar a 116,7 milhões de toneladas, com aumento de 2,5% na área a ser cultivada na primeira safra. O algodão teve ampliação de 9,3% na área a ser semeada, chegando a 1,49 milhão de hectares. A produção de arroz teve crescimento de 0,3% e previsão de colheita de 11,5 milhões de toneladas.

A Conab informa que no caso do feijão, somando-se os tipos, a estimativa é de 3,6% a mais na produção da primeira safra, totalizando um milhão de toneladas, com as três safras estimadas em 3,1 milhões de toneladas. No caso do trigo, a safra 2021 ainda está sendo colhida e o volume de previsto é de 7,68 milhões de toneladas.

Leia mais:
Estimativa de safra em setembro cai para 250,9 milhões de toneladas
Safra de café será 38% menor em Minas neste ano devido a secas e geadas, aponta pesquisa