O Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - ficou estável no segundo trimestre de 2021, na comparação com o primeiro trimestre do ano. Apesar de haver variação negativa de 0,1%, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) considera estabilidade. Os dados são do Sistema de Contas Nacionais Trimestrais, divulgados hoje (1º) pelo instituto.

Segundo o IBGE, a estabilidade ocorre depois de três trimestres seguidos de crescimento da economia do país e o PIB continua no mesmo patamar atingido do fim de 2019 ao início de 2020, período pré-pandemia de Covid-19. Mas ainda está 3,2% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica na série histórica, alcançado no primeiro trimestre de 2014.

Em valores correntes, o PIB chegou a R$ 2,1 trilhões.

“Com esse resultado, a economia brasileira avançou 6,4% no primeiro semestre. Nos últimos quatro trimestres, acumula alta de 1,8%, e na comparação com o segundo trimestre do ano passado, cresceu 12,4%”, informou o IBGE.

Leia mais:
Saúde tem previsão de aumento de R$ 10,7 bilhões no Orçamento de 2022
Sem gastos com pandemia, déficit do Tesouro no ano seria próximo de zero