A Justiça mineira determinou o bloqueio de R$ 778,4 milhões de Thor Batista, filho do empresário Eike Batista, e de mais seis empresas e off-shores da família em ação movida pelo administrador judicial da MMX, antiga empresa de mineração do grupo EBX, que está em recuperação judicial. O objetivo é que os valores bloqueados ajudem a pagar débitos com credores da companhia.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a busca dos recursos foi feita a partir de um bloqueio anterior dos bens do próprio Eike, que evidenciou repasses a Thor, tanto em espécie quanto em forma de sociedades em empresas no exterior. O rastreio foi realizado com a ajuda do advogado Rodrigo Kaysserlian, presidente do Instituto Brasileiro de Rastreamento de Ativos.

Procurado, Kaysserlian não quis comentar o caso. A defesa de Thor Batista também não foi encontrada. Como a decisão é de primeira instância, cabem recursos.