O diretor de Política Econômica do Banco Central, Altamir Lopes, garantiu nesta quinta-feira (5), que a instituição adotará medidas necessárias para trazer inflação à meta em 2017. "Esta é a mensagem final que eu deixo a vocês do cenário macroeconômico", disse aos jornalistas durante entrevista coletiva à imprensa, na apresentação do boletim regional do BC.

Ele afirmou que, a despeito da redução das despesas, uma queda maior das receitas leva a um resultado "não satisfatório" para a área fiscal em 2015. A área fiscal foi citada, ao lado da pressão do realinhamento de preços, como o responsável pela mudança de foco do BC de levar o IPCA para a meta de 2016 para 2017.

Segundo Altamir, o câmbio é uma fonte de pressão, mas a alta dos administrados chama mais atenção. "O ajuste foi mais prolongado do que prevíamos e mais intenso também", considerou. Ele disse que há uma resiliência dos preços livres e uma expansão exponencial dos administrados.

O diretor enfatizou, porém, que se observa um processo desinflacionário "bastante significativo" do setor de serviços e que "certamente" será mais intenso à frente. "A despeito dessa elevação substantiva de preços, as expectativas de mercado mostram processo desinflacionário significativo", comentou. A desinflação de 2015 para 2016 deve ser, segundo ele, a mais intensa dos últimos tempos.