Um alívio no capital de giro da empresa é sempre bem- vindo, sobretudo em períodos como o atual, de restrição de crédito e negócios enfraquecidos para vários setores da economia. Esse potencial de fôlego nas finanças é o que move o Clube de Permuta. Criado em 2012 em Belo Horizonte para a troca de bens e serviços, neste ano ele começou a se expandir por meio de franquias, dentro e fora do Estado.

Na capital, são 125 empresas associadas, sendo que 30 delas aderiram ao Clube de Permuta nos últimos três meses, conta o sócio Paulo Cesar Alkimim Oliveira, que divide com Leonardo Bortoletto a administração do negócio. “Neste ano, com a crise, tivemos uma oportunidade que nos permitiu crescer muito, mas nossa estratégia é de crescimento lento porque é um tipo de negócio que requer muito critério”, disse.

As associadas realizam dentro do ambiente de negócios do Clube de Permuta a troca de bens e serviços de forma multilateral. O faturamento sai da taxa cobrada pelas permutas realizadas, de algo em torno de 10% do valor estimado do negócio. Entre as empresas não há transação financeira. E é aí que está o alívio no caixa. Quem fornece recebe crédito para usar dentro do clube e quem consome fica em débito.

Apenas empresas convidadas por quem já está no clube pode participar. A taxa de adesão é de 2 anos para um contrato de 1 ano.

Neste ano, a estimativa do Clube de Permuta é de faturar R$ 1,5 milhão a partir de negócios equivalentes a R$ 15 milhões. Em 2014, o faturamento foi de R$ 1 milhão.

Há todo tipo de negócio dentro do clube. “Tenho associado que aluga galpão por meio de permuta. Tem serviços gráficos, de mídia, advocatícios e muito outros. Quando entra você ganha um crédito antecipado para já poder consumir algum serviço ou produto antes de fornecer”, disse Alkimin.

Com investimento de R$ 150 mil, retorno da franquia é estimado em 18 meses

O plano de crescimento via franquias começou neste ano com duas unidades abertas – Piracicaba (SP) e Montes Claros, no Norte de Minas. O Clube deve encerrar o ano com mais 3 unidades.

Para o primeiro ano (2015/2016)com a franquia, o plano é chegar a 15 franqueados. E já existem mais duas cidades do interior de Minas no alvo, além de outras quatro capitais.

Inicialmente, o interesse é por cidades com PIB acima de R$ 5 bilhões. O Clube de Permuta oferece exclusividade na praça e o investimento inicial é de cerca de R$ 150 mil. Para ter uma franquia, é necessária a instalação de um escritório de 80 metros quadrados. O prazo de retorno do investimento é estimado em 18 meses.

A crise e a falta de dinheiro potencializam as vantagens do negócio. Por isso, o faturamento do Clube de Permuta deve saltar 50% neste ano em relação a 2014