Sendo a água um recurso natural vital, estratégico e insubstituível é comum um enfoque, muitas vezes de natureza emotiva, na preservação deste recurso, desintegrado da interação com os demais recursos naturais. Contudo, a qualidade e quantidade das águas são resultantes da integração com rochas, solos, vegetação, fauna e atividades desenvolvidas pelo homem, em nível de bacias hidrográficas.

Muitas vezes, as estratégias são traçadas pensando-se apenas na água, sem atentar para o manejo adequado dos outros fatores ambientais da bacia hidrográfica que influenciam o ciclo hidrológico.

Uma vez que as vias principais desse ciclo se processam nos limites dos divisores de água, as bacias hidrográficas constituem unidades coerentes para implantação de medidas integradas de controle do balanço das infiltrações e do escoamento superficial das águas das chuvas.

Enquanto essa infiltração é altamente desejável, garantindo o abastecimento dos aquíferos (águas subterrâneas) e a disponibilidade hídrica para as plantas, o escoamento superficial excessivo, conhecido como enxurrada, constitui perda relevante das águas durante a estação chuvosa. As enxurradas também são as responsáveis por causar erosões, inundações, aporte de sedimentos, poluentes e contaminantes para as águas superficiais.

Nos núcleos urbanos, a impermeabilização dos solos com asfalto e concreto, a canalização dos cursos d’água, a urbanização desordenada e a insuficiência de áreas verdes potencializam o escoamento superficial, sem a infiltração no solo. Como consequências sérias surgem o aumento da incidência de inundações e o aporte de poluentes e sedimentos para os cursos d’água. Os núcleos urbanos brasileiros, em geral, são ambientes artificiais muitas vezes com paisagens, nascentes e cursos d’água descaracterizados e elevada densidade demográfica.

Por outro lado, o espaço geográfico rural, apesar de atividades agropecuárias instaladas, se aproxima do ambiente natural, onde podem coexistir, harmoniosamente, explorações econômicas e qualidade ambiental, sobretudo no que se refere ao uso das águas superficiais e subterrâneas.

Assim sendo, a relevância do espaço rural na disponibilização de água requer atitudes motivadoras, para que sejam adotadas práticas que potencializem a regularização de vazões de cursos d’água, recarga de reservatórios subterrâneos, além de estabelecimentos de estruturas de saneamento básico.

As enxurradas também são as responsáveis por causar erosões, inundações, aporte de sedimentos, poluentes e contaminantes para as águas superficiais
 

(*)Coordenador técnico de Manejo de Bacias Hidrográficas da Emater-MG