A procura por trabalho aumentou no trimestre encerrado em fevereiro de 2015, mas parte desse contingente não conseguiu uma vaga. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que, no período acima, a população na força de trabalho aumentou 1,6% em relação a igual período de 2014, o que significa 1,596 milhão de pessoas a mais. Porém, a população desocupada foi engrossada por 778 mil pessoas, alta de 11,7% em relação ao trimestre até fevereiro de 2014.

O emprego também aumentou no período. Ao todo, 818 mil pessoas conseguiram trabalho no trimestre até fevereiro deste ano, alta de 0,9% em relação a igual período de 2014. Mas o nível da ocupação caiu para 56,4%, 0,6 ponto porcentual a menos na mesma base de comparação. Já a inatividade subiu 2,4% no período, com 1,504 milhão de pessoas a mais, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A Pnad Contínua analisa a população de 14 anos ou mais.