A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou multas num total de R$ 3,2 milhões em cinco processos do grupo X, realizados na manhã e tarde desta quarta-feira (18), na sede do órgão regulador, no centro do Rio de Janeiro.

Somente o fundador do grupo, Eike Batista, foi condenado a pagar R$ 1,4 milhão em quatro processos. A maior multa aplicada a Eike foi de R$ 500 mil, no processo relativo à LLX, atual Prumo, braço de logística do grupo.