Os Estados Unidos podem expandir o seu pacote de empréstimos à Ucrânia para US$ 3 bilhões este ano, afirmou o secretário do Tesouro do país, Jack Lew, em viagem oficial a Kiev. A medida depende da aprovação do Congresso e da implementação de reformas no país.

Lew firmou um acordo de empréstimo de US$ 1 bilhão com a ministra das Finanças ucraniana, Natalie Jaresko, e um comprometimento de um adicional de US$ 1 bilhão que pode ser disponibilizado ainda no primeiro semestre, se a Ucrânia se mantiver no caminho das reformas.

"A intenção dessa garantia é ajudar a Ucrânia a atender suas necessidades de gastos sociais de curto prazo e isolar ucranianos vulneráveis do impacto dos ajustes econômicos necessários", afirmou Lew. Dentre as reformas, Kiev pretende combater a corrupção, melhorar as condições de negócios, reparar o setor financeiro e o energético, que é altamente subsidiado pelo governo.

Além do US$ 1 bilhão, o Congresso norte-americano pode adicionar US$ 340 milhões em assistência ao país. O valor faz parte de um pacote de financiamento organizado pelos países ocidentais.

"Os Estados Unidos se mantêm firmes no compromisso de apoiar a democracia da Ucrânia e se opor à agressão da Rússia", afirmou Lew. "Nossa primeira escolha é uma resolução diplomática que nos permita reduzir sanções, mas continuamos preparados para fazer mais, se necessário". Fonte: Dow Jones Newswires.