O Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG) inaugurou, nessa terça-feira (21), novos canais de comunicação com a ouvidoria da instituição. Com a medida, que amplia as possibilidades de contato da população com a instituição, a expectativa é a de que a procura tenha um aumento imediato de 30%.

A iniciativa busca aproximar a ouvidoria do público e incentivar o uso da ferramenta com mais frequência. Um formulário para apurar a satisfação dos usuários em relação ao atendimento e em relação à estrutura física do local já está disponível na sede do TRT-MG e no site do tribunal.

Cartilhas para as secretarias de varas e outras unidades também serão distribuídas, com orientações sobre o funcionamento da ouvidoria e dos tipos de demandas recebidas e não recebidas pelo setor.

Além disso, a ouvidoria vai apoiar programas de causas humanitárias, como a erradicação do trabalho infantil e do trabalho escravo ou degradante. A desembargadora ouvidora, Emília Facchini, avalia que o grande beneficiado com a mudança é o cidadão.

“A partir de agora, vamos atrás do usuário para que ele possa avaliar os serviços prestados. Com isso, o cidadão passa a ter mais voz sem perder o sigilo que solicitar. É um passo muito largo em favor da democracia”.

Cerca de 450 chamados são atendidos pela ouvidoria mensalmente e, mesmo com o aumento previsto, o prazo para resposta de cada demanda deve diminuir. “Nossa meta é que as respostas sejam dadas num prazo máximo de dez dias. Além disso, vamos divulgar a cada mês os resultados obtidos por meio das pesquisas de satisfação”.

A Ouvidoria Pública é autônoma e tem a função de fazer o controle social da administração pública. Em termo práticos, é a forma que o cidadão tem de opinar e interferir positivamente no aperfeiçoamento dos serviços públicos.

As demandas recebidas pela Justiça trabalhista serão analisadas em conjunto com os demais setores relacionados para que ações preventivas e de aprimoramento da instituição sejam desenvolvidas em diálogo com as respostas da sociedade.