As carnes reduziram o ritmo de aumento de preços na segunda prévia do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de outubro, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). Os itens que mais contribuíram para o movimento foram os bovinos (de 3,45% na segunda prévia de setembro para 1,69% em igual leitura de outubro) e suínos (de 10,35% para 2,72%), além da soja em grão (de -2,16% para -2,89%). Na direção oposta, evitaram uma queda maior no indicador as aves (de 1,68% para 3,57%), o minério de ferro (de -5,43% para -5,15%) e o café em grão (de 4,73% para 5,62%).

Ainda dentro do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), os bens intermediários também tiveram recuo de 0,12% em outubro (após alta de 0,56% em setembro), puxados pelo subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa recuou de 0,45% na segunda prévia de setembro para -0,37% na segunda prévia de outubro.

Já a aceleração na taxa de variação dos bens finais (que passou de 0,24% para 0,31%), teve como maior contribuição o subgrupo alimentos in natura, que reduziu o ritmo de queda nos preços de -6,29% na segunda prévia do mês passado para -1,68% na segunda prévia deste mês.