O plano Santa Casa Saúde tem novo dono. Segundo o presidente em exercício da Fundação Santa Casa, que administra o plano de saúde suplementar, Roberto Araújo de Lima, 86 mil clientes serão transferidos para a carteira da Vitallis, operadora de Minas Gerais comprada recentemente pelo grupo colombiano Colsanitas, que atua no mesmo setor e é o maior daquele país. O valor do negócio não foi revelado.

De acordo com Lima, o aval da Agência Nacional de Saúde (ANS) à Fundação Santa Casa de BH para vender o plano à Vitallis foi dado por meio de carta, datada do dia 15 de julho e recebida pela entidade na última quarta-feira, dia 16.

A expectativa é a de que a carteira seja transferida no dia 1º de agosto. “Tanto a Santa Casa Saúde como a ANS levaram em conta a segurança no atendimento de qualidade aos usuários. A Vitallis é uma operadora sólida e preparada, com ótimas referências no mercado”, afirmou.

Os usuários do plano de saúde terão direito às mesmas condições de preço e atendimento existentes no contrato atual após a migração para a outra operadora. Possíveis reajustes poderão ocorrer apenas nas datas de aniversário do plano, conforme a lei, e, no caso de pessoa física, de acordo com um percentual estipulado pela ANS.

A carteira de clientes da Santa Casa Saúde foi alienada pela ANS em dezembro do ano passado. O órgão regulador alegou “identificação de anormalidades econômico-financeiras que poderiam colocar em risco a continuidade do atendimento à saúde”.

À época, eram quase 103 mil usuários. Porém, segundo Lima, com a morosidade no processo de transferência para outra operadora, cerca de 17 mil migraram para outras empresas por conta própria.

A assessoria de imprensa da Vitallis informou apenas que o acordo está em vias de ser assinado, e que a diretoria da operadora só irá se pronunciar sobre o negócio na segunda ou terça-feira.

Em nota, a assessoria de imprensa da ANS informou que o processo de transferência de carteira da Santa Casa de Saúde de Misericórdia de Belo Horizonte está em análise pelo órgão regulador e que a transferência depende da avaliação rigorosa da capacidade econômico-financeira e assistencial da operadora que assumirá a carteira.

Porém, o presidente em exercício da Fundação, Roberto Augusto de Lima, informou que a Vitallis tem apenas algumas formalidades a cumprir, como o comparecimento em cartório.

Conheça a operadora

- Vitallis foi a segunda aquisição do Colsanitas no Brasil
- Em 2011, o grupo arrematou 45% da Universal Saúde, de São Paulo, e depois aumentou sua participação para 80%
- Por R$ 40 milhões, a colombiana virou dona de 62% da Vitallis
- Estratégia é adquirir planos já estruturados e fazer investimentos para crescer
- Rede preferencial inclui Hospital do Barreiro, Centro Clínico Venda Nova e Hospital Dia BH Mater