Alheio à instabilidade da economia brasileira, o mercado de cavalos Mangalarga Marchador aposta na liquidez da raça para alcançar a meta de movimentação de R$ 9 milhões nos leilões, vendas de artigos temáticos e negociações entre criadores durante os 11 dias da 33ª Exposição Nacional, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte.
 
De 23 de julho a 2 de agosto, aproximadamente 1.500 animais de todas as regiões do país estarão expostos no evento, participando de concursos de marcha e provas funcionais. De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), Magdi Shaat, o aumento da inflação e das taxas de juros não irá interferir no desempenho da feira.
 
“Obviamente, existe um recesso em termos de valores médios de venda, de preço dos animais, mas em relação ao volume de negócios, não”, diz.
 
O otimismo está fundamentado em pelo menos dois pilares. Dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) revelam que os negócios com cavalos no país movimentam por ano R$ 7,5 bilhões e geram 642,5 mil empregos diretos.
 
Além disso, a Exposição Nacional acontece no Estado que é o berço da raça, natural de Cruzília, no Sul de Minas. Aqui, está concentrado o maior número de animais, 165 mil. Na sequência aparecem Rio de Janeiro, com 76 mil, e São Paulo, com 50 mil. No Brasil, são 8,7 mil associados à ABCCMM, sendo 4.099 mineiros. “A cada ano, os registros de cavalos aumentam de 15% a 20%”, afirma Shaat.
 
 
Exportação
 
Neste ano, o evento ainda contará com a visita de cerca de 20 compradores estrangeiros, dos Estados Unidos, da Alemanha e da Itália, que além da feira visitarão haras próximos a Belo Horizonte. 
 
A comitiva será recebida com a proposta de alavancar as exportações de animais e de material genético congelado para a América do Norte e a Europa, a fim de promover a raça no exterior e consolidá-la nesses mercados. “É importante que o público conheça essa raça que, hoje, é considerada nacional. Esse é o melhor cavalo de sela do mundo”, sustenta o presidente da ABCCMM. 
 
 
Exposição terá dois shoppings de animais
 
Os leilões são a principal atração da 33ª Exposição Nacional do Cavalo Mangalarga Marchador, mas o evento também oferecerá dois shopping de animais, nos quais serão vendidos garanhões, matrizes, potros e animais de sela.
 
Para confirmar, na prática, a fama da raça de ser boa de marcha, haverá o test ride, no qual os participantes poderão experimentar a montaria.
 
Outra atração, voltada para as crianças, é a minifazenda, espaço que vai reunir cabritos, cordeiros, minivacas e minicabras.
As mulheres também terão uma programação especial durante a exposição, com palestras, exposições sessões de massagem e compras, dentro da Casa do Criador. 
 
Haverá, ainda, o lançamento do selo comemorativo dos 65 anos da Associação dos criadores e em celebração ao decreto presidencial que definiu o Mangalarga como raça nacional. 
 
 
SAIBA MAIS
 
Lei oficializou a raça como ‘nacional’
 
A 33ª edição da Exposição Nacional do Cavalo Mangalarga Marchador vai comemorar a sanção da Lei 12.975, que oficializa a raça como sendo nacional. A abertura oficial será no dia 24, com show sertanejo, quando os ingressos custarão R$ 20. Nos outros, serão cobrados R$ 6. A organização espera receber mais de 150 mil pessoas.