BRASÍLIA - O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, informou nesta terça-feira (18) que o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, que reúne as principais autoridades do governo para o setor, decidiu na última semana que irá importar gás e ligar a usina térmica de Uruguaiana. 
 
A medida faz parte de um esforço do governo para complementar a geração térmica no país, que vem auxiliando o atendimento da demanda enquanto o nível dos reservatórios segue baixo, por falta de chuvas. 
 
No ano passado, a usina também foi utilizada em situação semelhante, quase emergencial. 
 
Usina 
 
Uruguaiana estava desligada desde 2008 e, por ser ativada ano passado, recebeu um ressarcimento superior a R$ 250 milhões, repasse autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 
 
Neste ano a geração de Uruguaiana deve ficar em 250 megawatts médios. O funcionamento foi aprovado por 60 dias, que vai ocorrer nos meses de março e abril. Os gastos para uso da usina não foram informados. 
 
Para que funcione, segundo disse o secretário Zimmermann, será necessário aplicar o mesmo sistema do ano passado, ou seja, o Brasil importa gás GNL (gás natural liquefeito), ele passa por processo de regaseificação na Argentina e vem para o país por meio de um gasoduto. 
 
Também no ano passado a usina de Uruguaiana foi usada por dois meses, em fevereiro e março.