A petroleira OGX, administrada por Eike Batista, entrou com pedido de recuperação judicial nesta quarta-feira (30).

A ação já vinha sendo prevista pelo mercado, pois a petroleira tinha até esta semana para evitar calote. A medida permite que empresas que não tem mais condições de pagar suas dívidas continuem operando, dessa forma elas vão negociando com seus credores.

A OGX tem 60 dias para apresentar o plano de recuperação judicial ao juiz, ou poderá ser decretada a falência da companhia. Após a apresentação ao juiz, ele divulgará para os credores. Se não houver manifestação, o juiz poderá dar o plano de recuperação como definitivo.

Os credores tem um prazo de 180 dias para aprovar o plano. Caso não seja autorizado em assembleia, o juiz decreta falência.
Se aprovado, ele é implementado e precisa ser seguido pela empresa.

Diante do pedido de recuperação judicial da OGX, o BNDES informou, em nota, que não concedeu nenhum financiamento à empresa do grupo do empresário Eike Batista. Desse modo, diz o banco de fomento estatal, não há nenhuma "exposição de crédito à referida companhia".