BRASÍLIA - A ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) afirmou nesta quarta-feira (18) que o governo espera que os consórcios perdedores do leilão da rodovia BR-050, cujo resultado foi divulgado mais cedo, poderão se interessar pelo leilão na BR-262.

O prazo para oferta de interessados se esgotou na última sexta-feira e, como não houve interessados na rodovia, o Planalto age para apresentar compensações a investidores.

O Consórcio Planalto bateu os sete concorrentes e venceu o leilão da rodovia BR-050, entre Goiás e Minas Gerais, ao oferecer um deságio [desconto] de 42,38% sobre a tarifa máxima.

O grupo terá direito de administrar a rodovia por 30 anos. O investimento previsto para o trecho no período é de R$ 3 bilhões. "A avaliação do governo é positiva em relação a esse primeiro leilão. O nível dos deságios demonstra um interesse do mercado em relação à rodovia BR-050, mostrando que é competitiva para investimentos e também apresentando à sociedade o resultado de um pedágio que avaliamos justo, equilibrado", disse a ministra.

Segundo ela, os demais concorrentes por esse trecho poderão se interessar pela rodovia entre Minas Gerais e Espírito Santo. O leilão da BR-262 não teve interessados porque, preocupados com os riscos relacionados à participação do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) na duplicação da rodovia, investidores recusaram-se a apresentar propostas.

"Nós queremos recolocar a BR-262 em processo de licitação. Vamos ouvir todos os setores, todo o mercado. O ministro César Borges está coordenando este processo. Já começou as conversas. Acredito que também é uma rodovia que pode ser viabilizada", disse Gleisi.