O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitou nesta sexta-feira (21) uma fábrica de vacinas veterinárias em Cravinhos, no interior paulista. Acompanhado da titular da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, ele avaliou a possibilidade de as instalações, que produzem 80 milhões de doses da vacina contra a febre aftosa por ano, fabriquem também imunizantes contra o coronavírus.

Em abril, o Senado aprovou um projeto de lei que autoriza fábricas de produtos veterinários a produzir também imunizantes contra a Covid-19. O projeto, no entanto, ainda precisa ser aprovado pela Câmara dos Deputados.
 

Queiroga

Em abril, o Senado aprovou um projeto de lei que autoriza fábricas de produtos veterinários a produzir também imunizantes contra a Covid-19

“Essa fábrica possui uma tecnologia muito avançada de produção de vacinas, e as autoridades que fazem o controle sanitário, a exemplo da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), já vêm fazendo uma análise, junto com o Ministério da Saúde, para verificarmos a possibilidade de, no curto prazo, produzir vacinas neste parque industrial”, disse Queiroga ao conhecer o complexo.

De acordo com o projeto de lei, os laboratórios de produtos veterinários devem cumprir todas as normas sanitárias e as exigências de biossegurança próprias dos estabelecimentos destinados à produção de vacinas humanas. Todas as fases de produção de vacinas humanas deverão ocorrer em instalações separadas de onde continuarão sendo produzidas as vacinas veterinárias.

Leia mais:
Maioria do STF vota para realização de concurso da PF no domingo
Câmara de BH define presidentes e relatores das CPIs da BHTrans e Covid-19; saiba quem são