Morreu na manhã deste sábado (19), de falência múltipla dos órgãos, um dois maiores best-sellers brasileiros, o educador, teólogo e escritor Rubem Alves. Mineiro de Boa Esperança, Alves será velado no Plenário da Câmara Municipal de Campinas a partir das 19h deste sábado, conforme postagem no perfil do escritor no Facebook. O escritor tinha 80 anos.
 
Alves estava internado no Hospital Centro Médico Campinas, desde 10 julho, apresentando suficiência respiratória por causa de uma pneumonia. O hospital está localizado na cidade onde o escritor vivia com a família há várias décadas. Nota divulgada pelo hospital informa que o intensivista e cardiologista da instituição, Roberto Munimis, informou sobre a "rápida evolução no quadro do paciente Rubem Alves que veio a óbito por falência múltipla orgânica, às 11h50".
 
Na última quinta-feira (17), a filha do escritor, a arquiteta Raquel Alves, postou na mesma página do Facebook do escritor uma mensagem sobre o agravamento da morte do pai: "Não vou comentar sobre a minha dor e nem da minha família. Isso seria chover no molhado... Mas posso afirmar que prefiro converter a dor, de ver meu pai tão mal - em amor e gratidão por esse homem e esse pai maravilhoso. Seria injusto pensar nele com dor. Uma pessoa que só tem beleza nos olhos e amor no coração - o tempo todo - alma, pura alma... Quero sinceramente que acima de tudo as pessoas que o amam desejem o melhor para ele, independente do que isso represente. Acima de tudo o AMOR, a gratidão pelas palavras dele que serão eternas. Não há nada mais positivo e mais bonito que isso! E vamos com fé... Agradecemos muito o carinho e boas energias de todos vocês! Que as cores do crepúsculo mais belo preencham o coração de todos".
 
Em 2010, Rubem Alves enfrentou um câncer e outros problemas de saúde. Recuperado, voltou participar de eventos, apesar de que com menos frequência, de palestras sempre muito concorridas pelos leitores em todo país.
 
Entre os livros, há títulos para o público infanto-juvenil, sobre teologia, crônicas, contos e filosofia, totalizando mais de 160 publicações, distribuída para dezenas de países. 
 
"Os livros foram para mim uma fonte de prazer. Por isso escrevi muitos livros para crianças, adultos e educadores. Os livros me deram asas. Quando se lê um livro, a gente voa, voa voa... A gente fica mais leve. Sem os livros a gente rasteja. Com livros, subimos montanhas", disse o escritor, em depoimento exclusivo ao Hoje em Dia, no dia 23 de abril deste ano, para edição comemorativa do Dia Mundial do Livro.