BRASÍLIA – A Justiça Militar do Rio Grande do Sul começou a ouvir nesta terça-feira (5) e as testemunhas de acusação sobre a atuação dos oito bombeiros, responsabilizados criminalmente pelo incêndio da Boate Kiss, que ocorreu no dia 27 de janeiro deste ano em Santa Maria e causou 242 mortes. A juíza Viviane Freitas deve ouvir hoje cinco testemunhas. Ao todo, serão 19 testemunhas de acusação, sendo 16 bombeiros e três engenheiros. Quatro delas tiveram a oitiva adiada para os dias 9 e 10 de dezembro.

Dos oito bombeiros denunciados pelo Ministério Público (MP) do Rio Grande do Sul, cinco responderão por inobservância da lei e três por falsidade ideológica. Os denunciados são: Moisés da Silva Fuchs, Daniel da Silva Adriano, Alex da Rocha Camillo, Gilson Martins Dias, Vagner Guimarães Coelho, Renan Severo Berleze, Marcos Vinicius Lopes Bastide e Sérgio Roberto Oliveira de Andrades.

Segundo o MP, os bombeiros são responsáveis por fraudes na liberação dos planos de Prevenção e Proteção contra Incêndios e alvarás para funcionamento da boate.

Depois de ouvir as testemunhas de acusação, o passo seguinte será ouvir as testemunhas de defesa, que já passam de 30. Após as audiências, o julgamento poderá ser iniciado.