SÃO PAULO - Entre cantos, miados, piados e latidos, a paróquia São Francisco de Assis, na Vila Clementino (zona sul de São Paulo), recebe centenas de animais nesta sexta-feira (4) para missa e bênção especial do Dia dos Animais e de seu padroeiro.

Os devotos levam gatos, cachorros, passarinhos, coelhos, hamsters para serem abençoados pelos frades da paróquia. Alguns deles saíram de manhãzinha da Grande São Paulo e Baixada Santista especialmente para a missa.

Foi o caso de Maria Emília da Silva, 77. Há cinco anos, ela e sua filha, a fisioterapeuta Alcina da Silva Pinto, saem de Santos para levar os quatro cãezinhos na celebração. A tradição familiar começou depois que Mimo, um dos quatro yorkshires, ficou doente e quase morreu.
"Encontramos ele desfalecido no chão de casa, sem força, como se estivesse morto. Minha mãe então pediu que fizéssemos um círculo em volta dele e rezássemos para São Francisco de Assis. De repente ele se levantou e foi fazer cocô", conta a fisioterapeuta.

De acordo com a veterinária no animal na época, diz Alcina, Mimo estava com hipoglicemia "incompatível à vida". "Foi um milagre", afirma emocionada a dona do cãozinho.
Foi também pela saúde de Foster, um labrador de 9 anos, que o estudante João Paulo Correa Mora, 21, e seus pais levaram o cão na missa pela primeira vez à missa.
Em abril deste ano Foster foi diagnosticado com um tumor maligno no abdômen, abalando toda a família. Desde então o labrador foi submetido a sessões de quimioterapia para, há uma semana, passar pela cirurgia. Foster ainda terá um tratamento longo pela frente, mas se recupera bem.