Já reparou que muscle cars sempre são acompanhados de alcunhas que remetem a suas índoles furiosas, motores grandalhões e visuais intimidadores? Hellcat, Venon, The Judge, Super Snake, Cobra são alguns apelidos que batizam versões anabolizadas desses esportivos norte-americanos criados para riscar o asfalto com borracha nas provas de quarto de milha. Mas nenhum se mostra tão intimidador quanto o Chevrolet Camaro “The Exorcist”, preparado pela Hennessey Perfomance Engineering.

O Exorcista acabou de ser revelado pela famosa preparadora texana, que já assinou versões endiabradas de modelos como Dodge Viper e Cadillac CTS. O nome não foi escolhido em vão e há doses de provocação. 

O “The Exorcist” chega para fazer frente ao Dodge Challenger SRT Demon, que acabou de ser apresentado pela Dodge no Salão de Nova York (leia nas páginas 4 e 5), com seus absurdos 851 cv, que lhe fazem cumprir o quarto de milha em 9,6 segundos.

As armas do padre
Mas como a missão desse Camaro é enfrentar o cramulhão nas provas de 0 a 400 metros, a versão preparada pela Hennessey promete um desempenho avassalador nas disputas de arrancadas. Para a empreitada, a empresa tomou como base o Camaro ZL1, versão de alto desempenho, da fábrica, que extrai 648 cv de seu V8 6.2 litros dotado de compressor mecânico.

E para que o exorcista tenha força suficiente para encarar os diabos da Dodge, assim como os Mustangs Shelby Super Snake, a preparadora modificou praticamente todo o motor do Camaro. Cabeçote, compressor, sistema de admissão e resfriamento, assim como o escapamento foram substituídos por conjuntos de performance ainda mais elevada. O resultado é a potência anunciada de 1.015 cv e um torque titânico de 133,5 mkgf. A Hennessey promete aceleração de 0 a 100 km/h abaixo dos 3 segundos e quarto de milha (0 a 400 metros) abaixo dos 10 segundos. 

Ao contrário do Demon, que ainda demorará algumas semanas para chegar às lojas e ainda não tem preço, o serviço de preparação do The Exorcist exige que o interessado adquira um Camaro ZL1 por US$ 63 mil e depois desembolse outros US$ 55 mil para preparar sua “batina”.