WASHINGTON - O presidente americano, Barack Obama, assinará esta quarta-feira (16) 23 decretos para combater a violência com armas de assalto e pedirá ao Congresso que proíba este tipo de armamento e que tome outras medidas, em resposta ao massacre de Newton, no qual morreram 20 crianças.

"Não podemos adiar mais" as medidas para controlar a circulação de armas, disse Obama em um discurso na Casa Branca, perante as famílias das vítimas do massacre na escola fundamental Sandy Hook e de crianças que lhe escreveram após esta tragédia.

Um alto funcionário disse que Obama pedirá ao Congresso que endureça as medidas para proibir carregadores com capacidade para mais de 10 disparos e munições de alta perfuração.

"O Congresso deve agir. O Congresso deve agir rápido", afirmou Obama, comprometendo-se a usar todo o peso de seu cargo para aprovar novas medidas de controle de armas. "Estas são nossas crianças", enfatizou ao destacar a necessidade de protegê-las.

"Deveríamos estar pensando em nossa responsabilidade de cuidar delas e de protegê-las de danos", disse. "Esta é a primeira tarefa como sociedade: nos assegurar de que nossas crianças estejam a salvo".

As medidas foram elaboradas em menos de um mês pelo vice-presidente Joe Biden, que elogiou a coragem dos familiares das vítimas do massacre de Newton e de outros locais por participar do evento.