O Ministério da Saúde informou que, até esta sexta-feira (14), "boa parte" dos sistemas de dados do órgão deverá ser normalizada. O anúncio acontece pouco mais de um mês após um ataque hacker à base de dados da pasta. Ainda não há previsão de quando o funcionamento das plataformas será plenamente regularizado.

Em entrevista coletiva, o secretário executivo do ministério, Rodrigo Cruz, detalhou que, essa semana, devem ser disponibilizados dados sobre vacinação contra a Covid-19, além de outras informações que ainda não estão plenamente acessíveis ao público.

ConecteSUS
Segundo Cruz, o download do certificado de vacinação pelo aplicativo ConecteSUS já está regularizado. O uso do app vem sendo altamente demandado depois que alguns estados passaram a exigir o documento para o acesso a determinados eventos e estabelecimentos, como restaurantes, bares e festas.

O secretário negou afirmações de que haveria um apagão de dados da pasta desde a invasão hacker. Ele confirmou apenas que a pessoa responsável pelo acesso indevido, ocorrido em dezembro, deletou dados de bases do ministério, o que gerou prejuízos.

Dados preservados
O primeiro trabalho da pasta, segundo Cruz, foi assegurar que os dados estavam preservados. Como havia cópia de tudo, não houve perda. A etapa seguinte foi restabelecer o sistema para voltar a receber informações de estados e municípios.

A terceira medida, de acordo com Cruz, foi viabilizar que os sistemas pudessem retomar as funcionalidades que permitem o acesso de gestores estaduais e municipais a diferentes bases de dados, o que ocorreu no fim de dezembro.

Open DataSUS
O trabalho que ainda não foi concluído, segundo ele, é a disponibilização de dados ao público. Alguns painéis de informações seguem indisponíveis ou com dificuldades na atualização, como o Open DataSUS.

"O Open DataSUS é o grande desafio. A expectativa é que casos de Covid-19 já estejam disponibilizados até sexta-feira. Os sistemas LocalizaSUS e o painel coronavírus também devem ser resolvidos em grande parte para disseminação do público em geral".

Prevenção
Ainda de acordo com o secretário, a pasta já começou a adotar medidas para evitar outro tipo de incidente. Entre as ações estão a atualização das credenciais de quem pode acessar as bases; o aprimoramento do controle de acessos; análises de risco mais aprofundadas; e a implementação de um comitê de gestão.

Leia mais:

Idosa de 85 anos fica 47 horas em corredor de UPA aguardando leito de enfermaria em BH
Minas já enfrenta nova onda da Covid, mas vacinação evita casos graves, afirma infectologista de BH
Flurona: Minas confirma 14 casos da dupla contaminação por Covid e gripe