O calendário de lançamento da indústria automotiva para 2022 seguirá um roteiro desenhado nos últimos anos. A tendência será de avanço no segmento SUV, com novos utilitários, assim como no nicho de picapes. Compactos com estilo aventureiro chegam como opções de acesso, mas com tiquete elevado. E a tradicional seara dos sedãs médios se converte definitivamente à nova onda do mercado. Confira os destaques:

Citroën C3

Tido como a tábua da salvação da marca francesa, o novo C3 chega com visual aventureiro para se apresentar como um SUV de acesso e atrair o consumidor que sonha com um utilitário-esportivo, mas não consegue acompanhar a escalada de preços. 

Integrante do grupo Stellantis, irá se posicionar no mesmo segmento que os primos Fiat Argo e Peugeot 208. Sua motorização não está decidida, mas ele poderá contar com motores 1.0 turbo de 130 cv, 1.3 de 107 e 1.6 de 118 cv.

Chevrolet Montana

Depois de amargar um 2021 para ser esquecido, a General Motors aposta na nova picape Montana. O modelo deixa de ser um utilitário leve e terá carroceria de porte intermediário, seguindo os passos da Fiat Toro.

Por hora, o carro só teve um teaser divulgado, que indica que terá estrutura monobloco e que utilizará a plataforma do Tracker. Também não se sabe quais serão os motores adotados. Há especulação de possa usar uma versão anabolizada do 1.2 de 133 cv do SUV.

Ford Maverick

Se a GM dá poucas pistas sobre sua picape, a Ford só falta anunciar o preço e da data do lançamento da Maverick. A picape intermediária norte-americana, está em fase final de homologação e chega ainda no primeiro trimestre.

Ela será equipada com conjunto motor semelhante ao do SUV Bronco Sport, com motor EcoBoost 2.0, tração integral e transmissão automática. No jipinho, a unidade entrega 240 cv e 38 kgfm de torque, mas a calibração pode ser modificada na picape.

Honda Civic

O segmento de sedãs médios perdeu prestígio no mercado brasileiro. Ele foi engolido pela onda dos utilitários-esportivos, que acabou impactando até mesmo no aclamado Civic. A Honda deixou de fabricar o modelo no Brasil depois de 24 anos de produção.

A partir deste ano, a nova geração do sedã chegará importada, tendo como destaque o novo conjunto híbrido, que une motor elétrico com uma unidade 1.5 de 102 cv. No combinado sobe para 131 cv. O torque é de 25,8 kgfm.

Honda HR-V

A japonesa não abriu mão do Civic apenas pelo modismo. Ela abriu espaço para produzir o novo HR-V por aqui. E a razão é que o SUV vende muito mais que o três volumes. De janeiro a novembro, o jipinho emplacou 34.710 unidades, segundo a Fenabrave, enquanto o Civic acumulou 17.252 licenciamentos.

Ainda sem data definida, o modelo também chegará equipado com o mesmo conjunto híbrido do sedã. Ele ainda contará com sistema Sensing de assistência a condução, como no City.

Leia Mais:
Cronos é líder de vendas na Argentina, com mais de 10% de participação
Fiat Grand Siena e Doblò saem de linha enquanto todo mundo assistia queima dos fogos
30 anos do Fiat Tempra: guiamos o carro 'feito' pelo tio do Jurandir